ISMD no 16º Congresso da ANAMT

  • ISMD no 16º Congresso da ANAMT

    ISMD no 16º Congresso da ANAMT

    Dermatoses Ocupacionais foi o tema da palestra da Diretora do Instituto Superior Medicina (ISMD), Dra. Roberta Motta, no 16º Congresso da Associação Nacional de Medicina do Trabalho – ANAMT, que aconteceu entre 14 e 19 de maio, em Foz do Iguaçu. Trata-se do maior evento de Medicina do Trabalho na América Latina, onde delegações científicas internacionais apresentaram trabalhos elaborados em Singapura, Dinamarca, Itália, Escócia, entre outros.

     

    A Diretora do ISMD, em sua apresentação sobre as dermatoses ocupacionais, destacou que, para minimizar os danos causados pela enfermidade, é de suma importância o esclarecimento e as orientações, pois a compreensão do impacto da doença na vida do trabalhador propicia uma atuação preventiva no controle das doenças ocupacionais.

     

    O evento foi um convite ao diálogo, à troca de saberes e competências entre as diversas modalidades médicas.

     

     

    Sobre as Dermatoses Ocupacionais

     

    alergia21O conceito de Dermatoses Ocupacionais é bem amplo: trata-se de toda alteração da pele, mucosas e anexos que seja direta ou indiretamente causada, condicionada, mantida ou agravada pela atividade profissional ou por tudo que exista no ambiente do trabalho.

     

    Apesar de serem doenças de notificação compulsória, são ainda subnotificadas no Brasil, mas estima-se que correspondam a 60% das doenças ocupacionais. Dentre as dermatoses ocupacionais os quadros mais comuns são as dermatites de contato, sendo que as do tipo irritativo são mais frequentes que as do tipo alérgico. Os agentes químicos são os principais fatores associados e as mãos são as áreas mais atingidas.

     

    O diagnóstico pode ser um desafio e deve ser orientado pela história e exame físico detalhado, bem como complementado por exames como o patch test e exame histopatológico. A história da melhora clinica com o afastamento do trabalho e a piora do quadro com o retorno e reexposição pode ser um forte indício. É também importante para o diagnóstico a inspeção do local laborativo, conhecimento das substâncias manipuladas pelo paciente, condições do EPI e existência de outros trabalhadores igualmente afetados nas mesmas condições de trabalho.

     

    As dermatoses ocupacionais representam um importante problema de saúde pública. O correto diagnóstico e notificação são necessários para que políticas públicas que visem a melhoria das condições de trabalho em alguns setores possam ser implementadas ou reforçadas.

    Deixe seu comentário

    Campos obrigatórios estão marcados*

X