Dermaroller: Técnica com uso de microagulhas eficiente para o transporte de medicamentos através da Pele

  • Dermaroller: Técnica com uso de microagulhas eficiente para o transporte de medicamentos através da Pele

    Dermaroller

    O uso de medicações por via tópica (sobre a pele) sempre foi uma forma eficaz para tratar um bom número de patologias, inclusive dermatológicas. Na forma de cremes, pomadas, géis ou loções, o uso da via transcutânea para fins de tratamento, prevenção e até mesmo estética é amplamente utilizado em todo o mundo desde os primórdios das civilizações. Apesar disto, a pele como tecido de proteção da superfície de nosso corpo apresenta uma barreira físico-química própria que pode facilitar a penetração de alguns produtos com maior possibilidade de se dispersar em óleos, do que outros conhecidos como hidrofílicos, aqueles que se dispersam em água.

    Técnicas com microagulhas são formas interessantes de realizar um transporte efetivo de fármacos através da pele sem o inconveniente da barreira cutânea. Atualmente o conceito mais utilizado é o que usa pequenos rolos com 150 a 200 microagulhas com comprimento que varia de 0,25mm a 1,5mm. Estes rolos correm pela superfície da pele a ser tratada com discreta pressão exercida pela mão do médico que o aplica. Como as microagulhas ficam dispersas sobre a superfície destes rolos de forma organizada, cada movimento de vai e vem acaba criando um número elevado de microcanais que servirão de trajeto para a chegada mais profunda dos medicamentos utilizados sobre a pele imediatamente após a aplicação do rolo.

    O Dermaroller® é um equipamento, composto de um pequeno cilindro, incrustado por centenas de diminutas agulhas, cuja finalidade é provocar micro-lesões na pele, através de “furinhos”, deixando áreas ao redor intactas, quase microscópicas, para que sirvam de aporte à regeneração da lesão provocada.

    Ao fazer o rolamento do “Dermaroller” na pele, são feitos milhares de micro-furos, provocando assim, uma lesão intencional na pele. Como há pele intacta ao redor do furinho, ela reage para cicatrizar a pele agredida. Ao fazer isso, grande quantidade de colágeno é formado em toda a área. A pele regenerada agora está mais firme e regenerada uniformemente. O Dermaroller estimula a produção natural de colágeno para maximizar as habilidades de recuperação das células da pele reduzindo rugas e pigmentação, além de melhorar a firmeza e o tom da pele.

    Como a técnica é muito pouco invasiva e com baixos índices de efeitos colaterais, o uso dos dermarollers acaba por ser uma opção segura em tratamentos estéticos. Exceto pelo desconforto da aplicação do rolo sobre a pele que costuma ser dolorido e exigir algum tipo de anestesia localizada, o procedimento já ganhou espaço importante no arsenal médico para tratamentos para o rejuvenescimento da pele.

    A técnica do Dermaroller e a evolução do seu uso é um dos tópicos constantes no conteúdo programático da pós-graduação em Dermatologia Estética Avançada do ISMD, além de outras tendências em dermatologia estética da atualidade.

    Deixe seu comentário

    Campos obrigatórios estão marcados*

X